20 de abr de 2010

Siricutico

Outro dia falei pra Cely que eu tinha siricutico e ela morreu de rir, dizendo que fazia tempo que não ouvia esse termo. Pois é, mas eu tenho sirucutico, sofro bicho carpinteiro e quase enlouqueço minha família com minha ansiedade. Hoje precisei voltar à cidade, fui na Sub buscar um papel para meu imposto de renda que, infelizmente, não estou mais pagando. Foi rapidinho, peguei o tal e fui subindo pelas escadas, parando nos andares pra matar a saudade dos meus queridos amigos que lá deixei. Não vi todo mundo, eu estava com pressa porque ia pegar uma carona com a Isabel então desci e fiquei no calçadão da Alvares Penteado que tanto adoro, esperando as ordens dela. Ela liga dizendo que ia demorar uma hora ou mais. Eita, as pessoas estavam trabalhando, não ia voltar lá, então, desço a rua General Carneiro que, para minha surpresa tinha bem menos camelôs do que eu me lembrava e entrei naquela rua que eu amooooo, a 25 de março que também estava inexplicavelmente mais vazia. Aproveitei e fui andando por ela até a esquina dos Armarinhos Fernando e entrei na Abdo Shaim, lá almocei no Jacoh, uma delicia de comida árabe, um pratão por 12,00 e de lá fui até o Aladin, uma loja de tecidos para decoração que tem preços fantásticos. Como estou querendo mudar a minha sala, fui lá sapiar enquanto esperava a Isabel. Não consegui definir o que quero, mas aproveitei e comprei um blackout para o meu quarto porque o forro estava em tiras. Manda a lógica e o bom senso que você mande esse tecido para uma costureira. Como eu não conheço essas palavrinhas, num acesso de surucutico, resolvi eu mesma virar cortineira. O tecido é um gorgorão na frente e no avesso borracha. Cortei mais ou menos direitinho e com cola de contato, fiz uma barrinha. Da cortina velha tirei os cadarços e costurei com as argolas e em menos de duas horas meu quarto estava novo. Pena que a barra ficou muito comprida, mas nada que uma fita crepe não desse um jeito. Sei não, ficou tão boa minha cortina que acho que vai ficar assim pra sempre. Conforme for, oferecerei meus serviços de cortineira também. Ter um blog é bom, a gente pode fazer propaganda de graça, o que eu preciso é de mais leitores.

beijo
P.S.     Esses dicionários são tão analfabetos que não sabem o que é surucutico....tsc
P.S. 2  Mais analfabeta ainda sou eu que escrevi surucutico quando o certo é siricutico, ainda bem que a Maiá e o Renatinho me corrigiram.

8 comentários:

Néia disse...

Pituca, é tão bom ter sirucuticos! é no mínimo saudável, pois tem o poder de livrar a vida das coisas meramente óbvias.

Néia disse...

Melhor mesmo é ter siricuticos, acabei por escrever errado também na postagem anterior,hehehe.

carmen disse...

siricutico lá ... siricutico cá....

Arquitetando a vida disse...

ah, siricutico ,sarapico,ataque tonton, bicho carpinteiro esses códigos familiares (já dizia Zélia Gattai) são sensacionais.Eu vivia tendo e dava tudo bastante certo .Parabéns e acho que abro meu Estudio Arquitetando seu Caos e sei que terei uma excelente Cortineira Pituca no meu futuro rolodex peça que é um dos meus sonhos de consumo que nunca consegui adquirir.beijos

Lesma de sofá disse...

Adorei teu siricutico.
Você anda impossível, né menina??
bjs amores e saudades

cely disse...

eu vou lá conferir prá ver como ficou essa cortina...

Anônimo disse...

Pituca

Com siricutico ou sem

Com cortinas com fita crepe ou sem

Só tenho uma coisa a dizer:

Você é a TIA que eu mais admiro!!!!! È verdade viu??? Acho esse seu jeitinho muito legal, afinal você é a TIA mais nova que eu tenho e quase da minha idade (isso quer dizer que você é jovem pois eu ainda não sou velha!!!!)

Adoro ler seu Blog, continue escrevendo,

Bjks,

Tita

Anônimo disse...

Pituca, é por esses e outros motivos que escolhi você para ser minha madrinha.

Barra de cortina é um horror de fazer, fiz para minha mãe aqui em Serra Negra e deu o que falar. Pena que não tive a idéia de colocar fita crepe.

adoro o que você escreve,

beijos para a tia mais querida e amada


Saudades

Neta