18 de abr de 2010

Minha dupla personalidade

Eu falo brincando, mas no fundo deve ser verdade - "tenho dupla personalidade."
Uma vez, há muitas e muitas campanhas atrás, acompanhando o Fabio Feldman, candidato a prefeito, num fundão da cidade, o Sales, querido amigo, quatrocentão,militante das antigas, hoje no primeiro escalão, para me amolar me pergunta: O que uma burguesa sente andando numa periferia? eu respondi na lata - como vou saber? não sou burguesa. Não? como não? ele retruca, e eu, com a cara mais empinada do mundo digo, -Não faço idéia mon cher ami, eu sou uma aristocrata, como posso saber o que a burguesia sente? uahauhauha repeti essa piadinha mais duas vezes, na última, pra dar mais veracidade, falei da vovó baronesa, sem ficar nem vermelha e mandei irem consultar o Silva Leme ( historia da nobiliarquia paulista). Isso tudo pra contar que eu, pobrinha, que sempre me vesti na Zepa e nas cestinhas de ofertas, sempre adorei e cobicei algumas marcas. Eu penso em moda como uma obra de arte, que custou muita pesquisa, materiais especiais e especialmente muuito talento. Tem algumas coisas que sempre sonhei ter mas deixei para uma próxima encarnação, nesta, me contento com meu guarda roupa virtual do Polyvore. Falsificações perfeitas, já vi muitas, quase cai em tentação mas, costumo dizer, - de falsa, chega eu. Ou tenho de verdade ou não tenho. Pois não é que hoje, visitando uma queridinha minha, compradora compulsiva das marcas mais bacanas, com um closet quase igual ao da Carrie Bradshaw ,encalacrada com as ultimas compras que não cabiam mais nem no armário nem no cartão de crédito, resolveu fazer uma sessão desapego e eu, acabo de virar uma feliz proprietária de uma bolsa Gucci e outra Jimmy Choo, um pouco detonadinhas, mas, com um sabão de coco e muito préstimo, deixei novas em folha. O cartão de autenticidade vou mandar enquadrar. hehehe
Brincadeiras a parte, tudo isso para dizer que conversando com ela, tivemos a idéia de fazer um brechó no meu blog, eu faço o anuncio, a negociação fica por conta das partes. Não é uma boa idéia?
xoxo

6 comentários:

Arquitetando a vida disse...

A Baronesa Pimponesa aqui concorda plenamente com o texto e só não concordo com sua "falsidez" .
(Só tenho da Chanel um blush [com a validade vencidíssima] e um baton válido.rsrsrrs.O meu sonho era casar de Chanel mas em 1978 ela já era falecida e assim criei meu vestido)beijos sua fã carioca

candida alcantara disse...

o Brechó vai ser sucesso!!!!
Oba!!!!

Anônimo disse...

Pituca achei genial a ideia do brecho e outra se existe uma pessoa autentica e verdadeira é vc,que historia é essa de falsidade

sô. disse...

BRECHÓ! BRECHÓ! QUEREMOS BRECHÓ !!
Em tempo: concordo com o comentário supra : autenticidade virou sinônimo de múltiplas personalidades??
Melhor a gente ser só a gente mesmo pq, vai q numa dessas transformamo-nos nos heterônimos de F. Pessoa sem nem mesmo ter nascido em Portugal!

carmen disse...

estou desconfiada, mas, quero saber quem é a amiga????

Eduardo disse...

Pituca!!!!
Vc é nota 10. Sua energia, determinação, alegria são o máximo.
Mas o melhor mesmo é saber que te conheço a mais de 20 anos.. caramba, já faz tempo.. será que é tudo isto.. Alias, só com seu blog pude concluir sobre sua personalidade a mil.... sua resposta para o Sales foi ótima "eu sou uma aristocrata, como posso saber o que a burguesia". Só falta um post sobre o PAULISTANO.