13 de out de 2015

Do facebook em 6.10.2015- no Hospital

Há dias num hospital de ponta com minha mãe, começo a me irritar profundamente. Mania que as enfermeiras tem de infantilizar, me dá o bracinho, levanta a perninha. Como a senhora é lindinha, que belezinha. Tenho ímpetos assassinos, quando foi  e a troco de quê começou esse tatibitate? Ha uns 20 anos numa operação que fiz num hospital bom, mas não  de ponta, alias, bom nada, uma meleca, a enfermeira vem me dar uma injeção e repete o lado,eu reclamo, ela vira e fala,- nao tem importância, o campo e vasto.
Só consigo me lembrar do meu marido saindo que nem uma flecha do quarto com medo de ouvir  qual campo eu achava vasto. Claro que era a orelha da freira, mas engoli...

Do facebook em 12.09.2015 . Meu aniversario

O meu marido é tão velho, mas tãooo velho que não consegue entender a delicia que são as redes sociais, fica tirando sarrinho  dizendo que as pessoas só lembram pq leram aqui, tsc, bobo! Antes das redes  aparecerem eu não gostava muito de fazer aniversario, quer dizer, gostar, gostava, mas não delirava. Foi no final do século passado, quando apareceu o orkut que tudo mudou, e agora,com o Facebook, eu só quero ficar o dia inteiro  conectada num estado de felicidade inexplicável lendo cada  mensagem. Leio todas, respondo e salvo a pagina para reler em momentos de carência afetiva, mas pra falar a verdade, nem preciso anotar nem salvar, eu nunca, mas nunca mesmo vou esquecer de vocês e do quanto eu os senti aqui, pertinho de mim, me falando coisas tão lindas e gostosas. Só posso dizer,alem de muito obrigada,que eu amo muito muito muito  cada um de vocês.

Do facebook em 13.10.2013 eleicoes no clube

Eleiçoes no clube
post bobagem escrito num grupo fechado do Facebook no dia de acirradas eleicoes no clube, quando, exepcionalmente  contratam manobristas para agilizar o movimento que é imenso o dia todo.

Chego no clube correndo pra ver meu neto. Tenho dez minutos antes de sair correndo para o medico. 3o subsolo, manobristas, ebaaaa avisei q ficaria no máximo quinze minutos. O clube, uma festa, adoro essa muvuca mas nao consegui ver quase ninguem, vou pegar meu carro o  cara me pergunta a marca, e eu, um escort prata. Ooops escort nao, peugeot, placa tal. Procura que procura e nada, eu enlouquecida junto com todos os manobristas fazendo uma varredura na garagem ate q chega o q me atendeu e fala, mas a senhora veio com um fox preto... Ai ai esqueci q era dia do meu rodizio. Agora, seja o q Deus quiser, estou presa na av europa de onde escrevo essas mal traçadas linhas. A noite eu corrijo e edito. Boa eleição pra todos e viva o cap

Do facebook em outubro de 2014

Acabo de voltar do Dante onde fui votar. Impossível não me sentir nostálgica, a primeira vez que votei lá, depois de um recadastramento,  foi 78. Essas lembranças me vêem sempre ligadas a gravidez  ou se eu estava gorda ou magra....affff não preciso falar qual ganha. Em 1978, isabel tinha menos de um mês, então, não fiz boca de urna o dia inteiro, vivíamos em plena lei Falcão e a propaganda era apenas um retrato 3por 4 dos candidatos, Andre, ainda bebê gostava do " jacó bitalho" quem diria heim? A eleição majoritária era para o senado, e foi quando apareceu Fernando Henrique. Apesar de convocada, não participei da campanha e nem votei nele, votei no Montoro, tio das minhas amigas Zina e Ana Teresa e filho da dona Tomázia. Só no final do dia, quando  a eleição dele estava garantida, fiz um pouquinho de bica de urna para o Fernando Henrique e, para azar meu, encontrei o Claudio, outro irmão da Zina,  estava com um monte de santinhos na mão, fiquei bem sem graça. De 78 em diante fui cada vez mais ativa, tenho historias divertidissimas, outras nem tanto, que meu marido não me leia, mas de brigas homéricas com a juventude janista,juro que não sai no braço, mas que  berrei e xinguei, como! Das brigas com os malufistas  precisaria de vários volumes para contar. Hahaha  E o Kassab?  Um estudante do Dante, branquelo e gordo, com um comitê na esquina da jahu com peixoto gomide, eu magra, adorava chamar ele de balofo bobo, mal sabia que décadas depois, eu na campanha do meu Geraldo Alckmin, repetiria esse bordão. Isso me custou um pouco caro, fui posta no escanteio e fiquei com fama de louca com as pessoas do psdb que ficaram do lado dele. Azar delas, perderam uma aliada que adooooora jogar na cara deles essa feiúra.  Como escrever é uma catarse  quando  estou super nervosa como agora, vou reativar meu blog e parar de amolar vocês.

Do facebook em 15.08.2014

Faz mais de trinta anos que sou amiga da cely, já discutimos milhares de vezes, já fui outras tantas para a casa dela em itamambuca, os filhos dela são meus sobrinhos e acho que os meus também são dela. Ela é inegavelmente uma das inteligências mais argutas que conheço, talvez por isso, a gente discuta tanto, hahaha. Modéstia às favas, como diz uma outra amiga. Todo esse preambulo pra contar que nesses trinta anos nada foi tão bom como a indicação que ela me deu de um sobrinho,médico oculista. Eu operei a catarata ha uns dois meses e deu zebra, não enxergo nada, andei péssima, com a certeza de estar perdendo definitivamente a vista. Pois ela me conseguiu uma hora com ele, eu fui, nunca na vida fizeram um exame tão minucioso, tão sem pressa de me despachar, como só os médicos antigos e a minha prima, clinica geral fazem. Não vou falar o nome deles porque as pessoas agora tão com mania de não querer se expor nas redes sociais, fazer o que? Como eu sou exibida e desparolada, não vou queimar o filme dele contando o nome aqui, mas não posso imaginar alguém que eu queira bem indo a outro médico, especialmente se for por problemas na retina.  Ha! Tem outra coisa, um dos exames era deitada numa maca, pois ele, tao queridinho, sem nem eu pedir, me ajudou a levantar,hérnia de disco e catarata acho que gostam de mim.

Do facebook em 12 .05.2012

Depois de uma reforma na minha casa, um mês arrumando armários me desfazendo de quarenta anos de bagunças e coisas sem uso, chega a hora de pendurar os quadros, tenho muitos, trabalhei com isso, resolvo dar uma mudada, uma parede tem que ser bem colorida, vou reativar as gravuras que estavam penduradas pela casa ou guardadas e, cadê meu Peticov, gravura rara,da inauguração da galeria arte global nos começo dos 70?  Reviro a casa, brigo com minha filha já que ele estava no quarto dela até onde eu me lembrava. Santo Antonio, são longuinho, almas do purgatório, meu querido anjo da guarda e nada. Quase quinze dias procurando e  perdendo o sono, o quadro é grande, hoje entro como faço todos os dias e dou de cara com ele pendurado na parede. Minha empregada jura que ele esteve lá todos os dias, e eu que tinha olhado até embaixo da cama e atrás da poltrona, nao acredito. Vou perguntar para a isabel ela me disse que não podia imaginar que fosse esse o quadro, que não era possível eu procurar tanto uma coisa que estava debaixo do meu nariz. Ou melhor, era sim já que sou filha da minha mãe que passou a vida procurando os óculos que estavam na cara dela.

Do facebook 13.12.2013 A saga da padeira

A dieta dukan alem de me emagrecer me fez voltar a escrever. tudo meio errado, mas me divirto.peço licença pra contar aqui as minhas aventuras de hj.
A saga da padeira.
Eu sofri tanto bulling quando era adolescente que, pra me defender, antes que alguém caçoe de mim, eu já me caçoei  dez vezes  e com muito mais categoria, looogico. Mas hoje, munida do meu mais  alto espirito de chef patisseure, entro na minha cozinha armada até os dentes. Já tinha ido ao Santa Luzia, terceira esfera do inferno de Dante, comprar farinha de glúten,fui à pé, toda moderninha, de jeans e tênis, devidamente aprovado pela minha personal crícritica, Luisa. Aproveitei o caminho para outras comprinhas de natal, e como não esta um dia muito quente, apesar de cansada,cheguei em casa bem em ordem achando que ia fazer um pãozinho e depois pegar um cineminha do clube. Doce e santa ilusão. Apesar de ter separado todos os ingredientes  em cima da bancada, por ordem,com as devidas colheres e copos medida, respiro fundo e mãos a obra.Na terceira etapa vejo que o requeijão tinha que ser aquecido, esquecimento meu, então, abri o armário e peguei o primeiro bol  que me apareceu na frente e, no microondas,um estalo, ele quebra. O fundo, muito bonito, grosso, separou inteirinho da borda, como  se tivesse sido cortado com uma tesoura. Achei pena por no lixo, daria um bonito suporte para um  vaso.daria, porque quando fui lavar, corto minha mão numa profundidade que me deu ate medo. Longos minutos depois, curativo feito, volto a ativa, não sem antes derrubar metade da farinha de glúten, tão difícil de se achar, no chão. Chão varrido,vambora acabar logo esse pão que, bem sovado, ficou de castigo um pouco pro fermento fazer efeito. Enquanto isso, folheio meu IPad onde estão essas receitas pensando que, já que comecei, pra aproveitar a cozinha que precisará ser lavada do chão ao teto nao valeria a pena fazer mais unzinho? Vou ver se o pao cresceu, acho que sim, ponho ele na assadeira, dou mais uma olhada na receita, ops, ia agua? Como não vi? Ok, não vi porque sou atrapalhada, ponho a agua mexo mais um pouco e forno, lavo tudo e volto pro ipad. Não acredito!!! A agua era da receita seguinte. Com ódio de mim mesma, fico pensando, como uma mulher, inteligente e bem relacionada como eu não tem a capacidade mínima de fazer uma coisa que qualquer pessoa no mundo é capaz? Vamos à outra, sabe-se lá o que essa agua vai fazer no meu pão depois de assado? Faço a receita de todo dia, o pão Dukan de liquidificador que nunca saiu bom mas vou experimentar uma dica que li no facebook, um ovo a menos. Vou poupa-los dos detalhes que se seguiram, são mais ou menos tristes. Pra tirar a melhor de três, resolvo encarar um bolo, tudo lindamente encaminhado, a massa de tão batida, triplicou de tamanho e ficou branquinha. Como não tenho forma de bolo de silicone, vai na assadeira mesmo, não é que  com a forma dentro do forno vejo que esqueci de por os farelos? Merecendo me autoflagelar pela burrice, encerro contando que tirei a massa, misturei os farelos e voltei ao forno, ficou super gostoso, alias, aos trancos e barrancos salvaram-se os três, mas eu tou tão irritada que quero mesmo é uma cerveja gelada.q

Do facebook em 6.12.21013

Pela quinquagésima sétima vez na minha vida. Pois é, tenho 61 anos, nas vésperas do final do ano, encaro outro regime. Dessa vez, foi o Dukan, uma loucura francesa que te faz secar em quinze dias, também, pudera, sem nenhum carboidratozinho que eu tanto amo,lá se foram uns sete ou oito, ganhos desde o último,- Ravenna, caríssimo mas também super competente, eu é que tenho uma incompetência avassaladora na minha parca força de vontade. Mudando um pouco de assunto mas ainda sobre o francês e minhas incompetência, hoje cometi uma proeza, nem eu mesma acredito, até me assanhei a escrever novamente depois de quase dois anos, mas consegui fazer um belíssimo pão dukan que aprendi num grupo do facebook. O mais incrível é que começando a minha receita, depois de respirar fundo, descubro que não tenho, alias,não faço a menor ideia do que seja, fermento biológico, foi no Royal mesmo que li na embalagem que é químico, seja lá o que for isso, mas, vamos ver o que dá,nunca encontro animo pra treinar meus dotes culinários. No meio da receita, a minha cozinha um pandemônio digno de inspetor  Clouseau, acaba o leite em pó,  e o iogurte, mas ,vamos que vamos, seja o que der e vier. A receita não fala quanto tempo tem que ficar no forno, não que isso adiante muito, todo dia esqueço alguma coisa e só lembro quando sinto o cheiro, mas hoje, depois de tantas adaptaçoes, resolvo sentar na frente do forno com meu ipad na mão escrevendo essas " mal traçadas linhas". Depois de 25 minutos, Tcha rammmmm ! O mais lindo e gostoso pão que já comi, melhor ate que o do Olivier Anquier, alias, melhor até que o próprio.
Beijos

Maschio, do facebook em 28.10.2013

Acabo de chegar da missa de sétimo dia do ANTONIO MASCHIO, velho companheiro de grandes e memoráveis campanhas desde o velho PMDB, mas para mim, especialmente as do PSDB. Encontrei amigos da velhíssima guarda, não muitos, umas cinqüenta pessoas, muito poucas para o tamanho da figura e da importância que ele representou na história da  redemocratização  do país,uma pena, mas rei morto, rei posto, não é?Pois bem, eu que me aposentei da militância e tenho uma preguiça mortal de ler jornais e digo  que pouco se me dá ter o PSDB no governo, acho que vou ter e rever essa posição - entre esses poucos amigos estava,discretamente, no fundo da igreja, o governador Geraldo Alckimin, não fosse o padre, vergonha alheia, cita-lo e pedir para que ele fosse na frente falar umas palavras,teria passado batido. Discretamente ele vai e fala umas bonitas palavras. Quando estou indo embora, saindo da igreja da Consolação, quem eu vejo andando pela calçada acompanhado pelo Marcelo Araujo, secretário da cultura e um ajudante de ordens uns passos atras, sem segurança, sem sirene sem batedor, sem séquito, sem nada? Ele mesmo, o governador que a gente conheceu como Geraldinho  e hoje,me faz tomar uma decisão, mais uma vez vou  enfrentar uma campanha no ano que vem.

As últimas da última flor do lascio

envelhecer é um processo que não da pra parar, tudo fica velho e tudo tem prazo de validade, mas a língua, não, ela é dinâmica, ainda bem, já imaginaram a gente falando cáspita e omessa? Eu apesar da provecta idade não sou desse tempo, mas conheci gente que falava, assim como conheço quem fale mano e as mina pira.  Não se sabe onde nem quando esses termos surgem mas seria tão bom se existisse um código regulador. Eu proibiria termos metidos a besta "tipo" permitir no lugar de deixar, e o novíssimo gentileza no lugar de favor.
 Mania mais besta, quando eu peço uma coisa peco um favor, gentileza eu recebo sem esperar e, adoro, porque ela me surpreende e encanta, se eu tivesse pedido uma gentileza ela deixaria de ser porque é um favor. Rabugentice[ esse acho q é do tempo dos afonsinhos], à parte, outro termo que me irrita é o esposa esposo,ate a década de 70 as pessoas diziam marido e mulher que é como esta escrito no manual canônico da igreja católica e no código civil que foi escrito por ninguém menos que  Rui Barbosa, tá bom pra vc? Mas um belo dia alguém achou que era mais chic falar esposa e, a moda, infelizmente pegou, daqui a pouco casamento vai virar esponsais. Pró- ativo agora ta entrando na moda, o "trombadinha", malandro experto que me rouba e sai correndo é um proativo, não?  Denegrir tbm virou moda.Quando um neologismo é gíria, acho divertido e saudável, assim como os nomes feios(outra tirada do fundo do 
baú) Eu sou boca suja, mas escrever palavrão,não consigo, mas é nítido como nomes sujíssimos há dez anos hoje estão nas bocas mais respeitáveis e até começam a aparecer nas penas, ou serei moderna, nos dedos da imprensa. Até minha mãe que não falava nem "cocõ"  hoje fala "sacanagem" com a maior naturalidade. E assim a lingua evolui, os brotos de ontem, hoje, quase velhas, se renovam na linguagem de hoje e, aposto, não falam palavras "metidas a besta". Tomara que essa moda passe e  a lingua volte a fluir naturalmente