27 de abr de 2010

As cidades de São Paulo

Eu conheço razoavelmente a cidade de São Paulo, adoro ir atrás de endereços e fábricas e nas muitas campanhas que participei fui até os fundões da cidade. Acho que dá pra dizer que conheço desde as franjas , como os políticos gostam de falar, até os "jardins". Aliás, tenho uma solene implicância pelo termo jardins para falar desse miolinho central onde ficam os jardins Paulista, Paulistano, América, Europa e....acho que só. Vai lá pra zona sul ver quantos jardins tem, não só na sul, nos quatro cantos da cidade tem um monte de bairros chamados jardim alguma coisa. Porque essa mania mais ou menos nova de chamar da Consolação até o Itaim Bibi de jardins? Eu arrisco dizer que é porque quando você está na Av. Alcantara Machado, ou na Francisco Morato as placas de sinalização falam em jardins. Então tá! a CET manda até na nossa língua hoje em dia.
Mas eu para justificar bem o titulo do meu blog, andei pela cidade inteira só pra contar uma coisa interessante e nova para mim. Minhas irmãs e sobrinha estão abrindo um atelier num jardim qualquer coisa que agora não me lembro o nome, mas que fica entre o Morumbi e a Francisco Morato. Eu fiquei mais uma vez embasbacada com a cidade de São Paulo, subo a avenida Morumbi onde temos uma simpática e bonita igreja, casas impressionantes de arquitetos como Paulo Mendes da Rocha, a linda casa na encosta de Clovis Mello Olga, e muitos outros que com suas belas obras fizeram o bairro do Morumbi e Cidade Jardim ficarem lá pelos anos 1960/70 com a fama de bairro nobre. Virando a direita na avenida, ainda dentro de um bairro super residencial dou de cara com a TV Bandeirantes e logo em seguida o Hospital Darci Vargas, referência de hospital público. E as casonas continuam, mas vão mais ou menos mudando de feição, parece que entrei no Epcot Center ou então estou em Paris do Século XIX e comecinho do XX com casas imensas de estilo neo neoclássico, com suas calçadas enfeitadas por tuias altíssimas. De uma hora para outra, sem sinalização nenhuma, caio num delicioso bairro comercial que parece uma cidade do interior. Parece, não, é! É igualzinho, só falta ter uma prefeitura, câmara municipal, igreja e praça que vai ver, até tem, eu é que não descobri ainda. E dai passei o dia pensando na delícia que é a diversidade dessa cidade cruel e desumana, mas que eu amo com todas as minhas forças. Essa cidade ainda vai ter um prefeito que a respeite e a ame como eu. Me aguardem.
beijos

7 comentários:

Regina disse...

Tomara que tenha mesmo,estamos precisando,se vc continuar mais um pouquinho, chega na Giovanni Gronki,nem sei se é assim que escreve, aí vem tomar um café comigo,saudades,beijo.

Anônimo disse...

Ai, Pituca...vc é ótima!
E, para não fugir da regra, nosso bairro é chamado por alguns de "Jardim" Guedala, ou, ainda, "Jardim" Leonor.
Mas, na verdade mesmo, chama-se Vila Progredior, que a Pimpa e eu nos divertimos chamando de Vila Progre"Dior"!!!
bjs,
Gogó

Néia (Dulci) disse...

Eu que moro no interior do interior do Paraná, agora viajei junto contigo nessa sua maravilhosa descrição das ruas de S.Paulo, obrigada pelo passeio!

Anônimo disse...

Pituca,

Acho que esta "cidade do interior" que só falta a igreja fica na rua 3 Irmãos!!! Acertei!!!

O Tonico morava lá, e no final da rua tem a Igreja de Santo Antonio, que tem boas festas juninas....

beijok

Tita

Anônimo disse...

Ah ... como moro na Rua dos Três Irmãos ... onde fica a loja delas ? adoro visitar tudo aqui , à pé, claro ... Beijocas. Celina , tia da Ivana.

Léo Coutinho disse...

Que delícia de papo, Pituca! E o final, é Pituca 2012?
Beijos gordos, Léo

Anônimo disse...

Mas que bairro que é??????
Tô curiosa!!

(e adorando seu blog!)

bjos, christie