9 de abr de 2010

A cidade

Anteontem fui almoçar na cidade com a Egle e Paulinho. Sim! eu sou do tempo que não se falava centro, era cidade e pronto, todo mundo sabia onde era.
Trabalhei na Subprefeitura da Sé por quase 5 anos e sou apaixonada por lá, adoro andar naqueles calçadões, a Praça da Sé com tantos moradores de rua e camelôs, onde a pobreza gritante dessa cidade mostra sua face cruel em pleno marco zero, mesmo assim é fascinante. Vocês podem me chamar de maluca,mas juro! Amo olhar o Viaduto do Chá da Praça do Patriarca, o comércio popular da Rua Direita e São Bento, ai ai ! que delícia de garimpo. Andar pelos calçadões na hora do almoço é uma farra, montes de gente conhecida, desde os dândis do Club Paulistano, os advogados ilustres da AASP na rua Álvares Penteado, até muitos amigos do PSDB que trabalham nas muitas secretarias. Olhando para o alto, tenho a sensação de estar nos anos 20 ou 30, são prédios maravilhosos, da época onde se sabia construir o neoclássico. Além disso, é na cidade que está a deliciosa balbúrdia que só os loucos como eu, ama - a ladeira Porto geral e a Rua 25 de março.
Fazia um tempão que eu não falava com o Paulinho, colaborador de um site concorridíssimo. Chiquérrimo, foi meu personal stylist , ele que dava o ok para os meus achados, me aconselhou a falar um pouco mais sobre isso, falar mais sobre a minha viagem, as compras, hotéis, enfim, dar dicas.
Sei lá, acho que não são lá muito confiáveis, mas falar da experiência da Disney, acho que pode valer a pena. Fica para a próxima
Beijos

3 comentários:

carmen disse...

Louca porque vc gosta da 25 e da Ladeira??? nao acho! é só ver a quantidade de gente por la!!!! sera que o mundo é dos loucos e eu é que nao sei?

Santana Filho disse...

Certa vez, pisando nos paralelepípedos de São Luis do Maranhão, deparei com uma pixação: "Loucos são todos, em suma. Uns por muita coisa, outros por coisa alguma".

Acho que é assim.

Eduardo Assumpcao disse...

Também adoro andar pelo centro de Sp e imaginar como era nas décadas de 20 e 30. Acho que era mais glamuroso que o Iguatemi hoje em dia. Ainda me lembro de ir ao centro com minha avó e passara na Sonksen e me deliciar com os melhores bombons que já provei em minha vida.