13 de out de 2015

Maschio, do facebook em 28.10.2013

Acabo de chegar da missa de sétimo dia do ANTONIO MASCHIO, velho companheiro de grandes e memoráveis campanhas desde o velho PMDB, mas para mim, especialmente as do PSDB. Encontrei amigos da velhíssima guarda, não muitos, umas cinqüenta pessoas, muito poucas para o tamanho da figura e da importância que ele representou na história da  redemocratização  do país,uma pena, mas rei morto, rei posto, não é?Pois bem, eu que me aposentei da militância e tenho uma preguiça mortal de ler jornais e digo  que pouco se me dá ter o PSDB no governo, acho que vou ter e rever essa posição - entre esses poucos amigos estava,discretamente, no fundo da igreja, o governador Geraldo Alckimin, não fosse o padre, vergonha alheia, cita-lo e pedir para que ele fosse na frente falar umas palavras,teria passado batido. Discretamente ele vai e fala umas bonitas palavras. Quando estou indo embora, saindo da igreja da Consolação, quem eu vejo andando pela calçada acompanhado pelo Marcelo Araujo, secretário da cultura e um ajudante de ordens uns passos atras, sem segurança, sem sirene sem batedor, sem séquito, sem nada? Ele mesmo, o governador que a gente conheceu como Geraldinho  e hoje,me faz tomar uma decisão, mais uma vez vou  enfrentar uma campanha no ano que vem.

Nenhum comentário: