13 de out de 2015

As últimas da última flor do lascio

envelhecer é um processo que não da pra parar, tudo fica velho e tudo tem prazo de validade, mas a língua, não, ela é dinâmica, ainda bem, já imaginaram a gente falando cáspita e omessa? Eu apesar da provecta idade não sou desse tempo, mas conheci gente que falava, assim como conheço quem fale mano e as mina pira.  Não se sabe onde nem quando esses termos surgem mas seria tão bom se existisse um código regulador. Eu proibiria termos metidos a besta "tipo" permitir no lugar de deixar, e o novíssimo gentileza no lugar de favor.
 Mania mais besta, quando eu peço uma coisa peco um favor, gentileza eu recebo sem esperar e, adoro, porque ela me surpreende e encanta, se eu tivesse pedido uma gentileza ela deixaria de ser porque é um favor. Rabugentice[ esse acho q é do tempo dos afonsinhos], à parte, outro termo que me irrita é o esposa esposo,ate a década de 70 as pessoas diziam marido e mulher que é como esta escrito no manual canônico da igreja católica e no código civil que foi escrito por ninguém menos que  Rui Barbosa, tá bom pra vc? Mas um belo dia alguém achou que era mais chic falar esposa e, a moda, infelizmente pegou, daqui a pouco casamento vai virar esponsais. Pró- ativo agora ta entrando na moda, o "trombadinha", malandro experto que me rouba e sai correndo é um proativo, não?  Denegrir tbm virou moda.Quando um neologismo é gíria, acho divertido e saudável, assim como os nomes feios(outra tirada do fundo do 
baú) Eu sou boca suja, mas escrever palavrão,não consigo, mas é nítido como nomes sujíssimos há dez anos hoje estão nas bocas mais respeitáveis e até começam a aparecer nas penas, ou serei moderna, nos dedos da imprensa. Até minha mãe que não falava nem "cocõ"  hoje fala "sacanagem" com a maior naturalidade. E assim a lingua evolui, os brotos de ontem, hoje, quase velhas, se renovam na linguagem de hoje e, aposto, não falam palavras "metidas a besta". Tomara que essa moda passe e  a lingua volte a fluir naturalmente

Nenhum comentário: