11 de mai de 2010

Tão fácil complicar....

Eu nasci uma virginiana maníaca e chata. Com o passar dos anos essa característica se acentuou, ando cada dia que passa, mais ranzinza. Mas vejam se é uma implicância boba: a nossa língua portuguesa, não é super rica? Acho até que temos palavras que não existem em outras, saudade não é uma delas? Então, por que inventar mais palavras, mais figuras de linguagem? Porque não usar os adjetivos, verbos, substantivos, pronomes, advérbios, no lugar certo? Ou pelo menos, tentar? Eu juro que tento, e me irrito solenemente todas as vezes, e são muitas, quando leio em revistas de decoração, agora, até na melhor de todas, a Casa Vogue, usando termos assim: a cadeira conversa com o quadro. Grrrrrrr conversa como, cara pálida? Ou então - a decoração remete a.......Remete? humm acho até pornográfica essa falta de imaginação, qualquer coisa agora, remete. E brincar? - as cores brincam com o imaginário....Então tá!  E  o infame  "jogar" que saiu da decoração para o mundo?: você joga um xale no sofá, você joga um tapete, você joga um quadro, um colar, uma echarpe, uma bolsa. Oras, a gente não joga nada, a gente põe, também não coloca, apenas e simplesmente põe, nada difícil, nada empolado. Ah! já ia me esquecendo da mania dos jornalistas de escrever em inglês, a revista Vogue, que adoro, eu não entendo nada , preciso de um tradutor, metade ou mais de um parágrafo vem com frases em inglês. Tenho certeza, e aposto meus 10 dedos que aqui teclam, que essa gente escreve assim porque não sabe o português, mania de Must have, wish list  e por aí vai, coisa mais esnobe e boba. E tem mais, quem escreve assim chama creme batido ou chantilly de chantilí, é mole?

Outra coisa que me irrita é esposa e esposo. A troco de quê? Quando eu aprendi a escrever lá pela segunda metade do século passado, só se falava marido e mulher Acho que a primeira vez que ouvi esse danado de esposa foi lá pelos anos 1970, antes disso, nunquinha. Eu não sei em outros credos, mas na Igreja Católica, se fala marido e mulher. O Código Civil que foi revisado por ninguém menos do que Rui Barbosa, também fala  esposa. Pra que simplificar se a gente pode complicar?

Estou muito azeda hoje, melhor parar de escrever e deixar para outro dia o irritantemente mal usado “de”. Uma vez um dos meus filhos, pequenos ainda, falou alguma coisa assim : “de sexta” vai ter prova de... Eu perdi a paciência e berrei: Nesta casa fica proibido de hoje em diante falar DE . A Isabel vira pra mim e fala: Você acabou de falar de hoje em diante.

Desisto? Por hoje, sim.

beijos
P.S. Precisei fazer uma correção, escrevi errado o jeito que algumas pessoas falam chantilly. Acho que a correção deveria ser feita só aqui  no PS, como não sei direito como funcionam as regras da blogosfera,  corrigi lá em cima também.

11 comentários:

carmen disse...

Ainda bem que agora voce manda "beijos" e acabou com aquele "xoxo"!!!!!

Marisa disse...

Que bom que vc também acha isso... Todos esses itens que vc destacou me irritam muito!!! rsrsrrs ... quer saber o pior? Todo sábado tem um programa na Tv Tem, afiliada da Globo que se chama: "Revista de Sábado" e toda vez pergunto a mim mesma: "de sábado à ..." (mesmo a crase não existindo mais, ainda sinto falta dela nestas horas). Só assim acho que justifica o 'de'! Bjs, Marisa.

cely mcnaughton disse...

Give me a break, Pituca! Qual o problema em apostar em novas tendências? Eu, por exemplo, tenho um Blue-ray com tela Vaio de 16.4 polegadas Full HD Real Widescreen 16:9, que é uma solução ideal para pesssoas antenadas como eu. Tenho smartphone, que é um produto exclusivo para quem leva em conta o visual dos acessórios e não abrem mão de luxo e conforto. É uma questão de taste!

Anônimo disse...

Você esqueceu de dizer, que as cores também mudaram de nome.Temos verde
celadon, fendi, banana,cobalto, grafite, beringela,quer saber....acho até que chantilly é cor.
SOU SUA FÃ,
mesmo exagerada!!

Anônimo disse...

Você esqueceu que cores agora mudaram de nome.
temos fendi, cobalto, banana, grafite, acho até que chantilly é cor.
SOU SUA FÃ...MESMO EXAGERADA!

Marcia Teister disse...

Adorei esse post. Principalmente pelo fato de conhecer uns "esnobe" de fachada que falam "poblema" e se referem a seus cônjuges como "esposo(a)". Nossa eu odeio essa palavra.
E eu tbém, sou sua fã. Bjs

Santana Filho disse...

Concordo com tudo. Isso sem falar no tal 'gerundismo' para o qual, começo a crer, perdemos a batalha.

sô. disse...

Tão rica a língua-mãe e ainda inventam de alterá-la ?!? Fico com tremas, ^, - e que se danem os nós.
Contudo, o 'ir-de-a-pé', 'a prova-de-6a', penso eu, ser herança destas bandas, do 'luar do sertão'...rs.
PS :'latinzando': né véice, nem ranzinzice não; o trem tá danado mesmo. Imagine uma petição onde 'assim' foi redigido com 'ç'...rs

Anônimo disse...

Pituca, sempre lembro de você quando alguém diz: "A janta está pronta". Uma vez você em casa disse que doia no ouvido esta frase e realmente você tem razão, quando escuto isso a vontade que tenho é corrigir, mas fico quieta.

beijos e saudades

Neta

Lúcia disse...

Pituca!
Sua escrita é uma delícia! Parabéns...vc escreve o que a gente tem vontade de escrever...rsrsrss
beijos e mais sucesso!

dominique disse...

só vc.....ou só par te irritar:ONLY YOU!!!!adorei!!!!certos erros doem no ouvido!!as vezes eu solto(falo,né?pq a gente só solta pum...)essa:mim não faz porra nenhuma!!!!como tem gente que fala errado....como eu tb sou virginiana(e estourada)adoro corrigir....mas acho que os palavrões podem sim ser usados como adjetivos!!!ex:acordei cedo para fazer a PORRA da esteira; esta sobremesa está um TESÃO,um verdadeiro orgasmo oral!(a gente até geme quando a comida é muito boa!);fui numa PUTA festa...etc...etc....
beijão