27 de mar de 2011

Um aniversário com sol e saudade

Depois de 15 dias chuvosos, ontem o dia amanheceu lindo e ensolarado. Acho que veio assim como presente para os 15 anos da Elisa,sobrinha querida, filha da minha prima Maria Stella e do Oswaldo.Os dois fizeram um almoço chiquérrimo, como não poderia deixar de ser, para as amigas da escola, a família e algumas “tias postiças” onde eu fui incluída. Dá para imaginar como fiquei emocionada? Emoção que começou logo cedinho quando me lembrei como tinha sido meu dia há 15 anos. Hoje em dia, me lembro muito mais das coisas passadas do que o que me aconteceu na véspera, ai ai. Eu estava na casa da mamãe, cuidando da minha avó, já com o Alzheimer avançado, numa temporada que minha tia Gigina teve pneumonia e ela foi ficar lá até as coisas se ajeitarem na sua  casa . Toca o telefone e era a inesquecível Baby contando que Maria Stella tinha ido para a maternidade. Naquela época as coisas eram diferentes, o pai não entrava na sala de parto para filmar, as pessoas fumavam - eca!!! na sala de espera de um hospital –eca de novo e, não sei se em todas as famílias, mas na nossa, muito louca,todo mundo ia para a maternidade esperar junto com o pai. Só não me lembro se o Oswaldo, ranzinza querido, deixou acontecer essa folia toda, mas me lembro nitidamente desse telefonema e eu pedindo para ela me avisar assim que nascesse, porque não tinha com quem deixar a vovó. Essa imagem me vem tão nítida quanto as de agora. Eu espero  nunca  esquecer dos 15 anos da Lili, da delícia das tias tortas conversando até noite fechada com as tias avós, relembrando com a tia Lalucha casos da nossa remota infância e eu lembrando com uma saudade imensa dos meus tios avós, Suzana e Decio que não conheceram a Elisa, mas que ontem, estavam conosco naquela mesa.


beijos

3 comentários:

Lesma de sofá disse...

Lembranças de momentos vividos com as pessoas que a gente ama são o que realmente vale a pena na vida!
bsjbsjbjs

Santana Filho disse...

PITUCA, hora de escrever de novo, viu?
Não é cobrança, é vontade de prazer.

Um abraço.

Celia Maluf disse...

Ai como adoro quando você passeia pela alameda da memória e leva a gente junto!!!!
Beijos com muuuuuuuuuuuuuuuuuita saudade!