25 de jul de 2011

O que eu quero eu faço, o que não quero, mando.


"O que eu quero eu faço, o que não quero,  mando". Cresci escutando minha mãe dizer essa frase. Tanto ela falou que, claro, eu fazia, e, passei minha vida quase toda fazendo não o que eu queria, mas o que se esperava que eu fizesse. Não foi tão ruim assim, preciso confessar.  Que minha mãe não me leia, mas cresci uma moça prendada, boa dona de casa e, por mais que pareça estranho, grande educadora. Nunca falei, (acho), essa frase para os meus filhos,se falei, foi numa das inúmeras vezes que fiquei fora de mim. Com tudo isso eles cresceram bem normais e por incrível que pareça, me acham sensata nos conselhos que dou. Só nos conselhos, fique bem claro. Eu comecei a escrever para falar uma coisa e acabei mudando para os traumas de infância. Antes que eu esqueça de novo, vou contar que hoje quis escrever para contar um segredo que eu  usava quando não queria fazer uma coisa - “meu marido não quer,ou, meu marido não gosta”. Grossa mentira, a gente fala isso quando não quer fazer e nem dar explicações ou inventar mentiras. Todo mundo sabe isso, mas finge que não sabe, são as mentirinhas sociais. Agora, nessa idade avançada que me atinge e que me colocou de cama há mais de um mês, com aquela dor que eu imaginava ser uma hérnia de disco e que evoluiu para ser também uma fibromialgia, passei a ver TV enlouquecidamente já que fico deitada a maior parte do tempo. Eu já tinha uma mega TV de 50 e nem sei quantas polegadas com uma imagem incrível, mas eu precisava mais, e, há uns 10 dias passei a assinar o HD. Evidentemente, tantos botões e recursos me atrapalham e enervam mais do que o normal. Em vez de ler um manual, chamei o técnico que acertou todos os botões e ao tentar me explicar como agir no próximo defeito, ouvia minha nova e predileta frase: “eu sou velha, moço! velho tem dificuldade para entender essas tecnologias”.  Pensem comigo- não é uma ótima desculpa? Nunca mais vou ler nenhum manual de instruções, tou muito velha pra isso.
beijos
P.S. Tenho lido bastante também, acabei de acabar ler " O Primo Basílio".

Um comentário:

Antonio disse...

eu sempre fui velho prá essas coisas,fico bastante humilhado quando meu sobrinho de 10 anos me ensina a usar o meu próprio celular. mas sou encantado com a tecnologia, já viu quantos livros cabem num tablet ? gosto muito do seu blog,não sou inteligente pra comentar, mas to sempre por aqui.
beijos