19 de jun de 2011

Paladar tem memória? tem sim senhor!!


A gente reclama, reclama,da cidade de São Paulo, mas temos que dar o braço a torcer, ela é fascinante. Terrível e sufocante, com os trilhões de habitantes que fazem do trânsito um inferno, ela tem um lado interiorano que é uma delícia. O meu bairro, um dos mais movimentados da cidade, ainda tem alguns lugares que me fazem sentir numa cidade do interior. Um deles é uma lanchonete que existe no mesmo lugar e com a mesma decoração, desde 1956. Lugar obrigatório para todos os boêmios e amantes da melhor cozinha do mundo, o Frevo, na Rua Oscar Freire, http://www.frevinho.com.br/, é um símbolo de lugar humanizado da cidade. Impossível entrar lá a qualquer hora do dia ou da noite e não encontrar algum conhecido. Falar do Beirute, do fantástico Rabo de Peixe e do Capricho de chocolate com marshmellow e a famosa farofinha, uau! Não vou nem falar, leiam no http://leo.coutinho.blog.uol.com.br que conta  deliciosos "causos" e descreve o cardápio de um jeito que deixa todo mundo babando de vontade de ir correndo até lá. E não adianta pedir em casa, eles até entregam, mas que graça tem? Imaginem que esse lugar mágico, quintal de todo o bairro e, também dos que por aqui passaram nos áureos tempos da Rua Augusta, agora estão morrendo de medo de perder esse lugar. O prédio foi vendido e não se sabe o que o novo dono vai fazer do lugar. Antecipando uma tragédia inenarrável caso este lugar seja fechado, o Leo Coutinho, menino querido, escritor de primeira, bom vivant como os de antigamente e dono do maior relacionamento que já conheci, armou nas redes sociais e depois na imprensa, um movimento de resistência e pedido de manutenção do lugar que foi chamado de Beirutaço. Foi ontem à tarde, um sábado ensolarado e quente como a cidade não via há quase um mês. Um amontoado de gente se espremia até na calçada. Os que passavam de carro pela rua, solidários, pediam para também assinar o manifesto que o Leo, com toda sua verve brincou, tinha assinaturas suficientes até para se formar um partido político. Espero que o novo dono  tenha a sensibilidade de manter o charmoso lugar e que meus netos e os filhos deles possam ter nas suas memórias, afetiva e  do paladar, as mesmas recordações que eu tenho de lá.

beijos

2 comentários:

Lesma de sofá disse...

O Caio tava louco pra ir no beirutaço, mas eu fiquei com muita preguiça de atravessar o rio...hehehe
Você disse tudo: São Paulo apaixona e perturba!
Minha perdição antes do capricho é o mini prato Frevo de Filé!!! aiaiai
bjs e amore

Santana Filho disse...

saudade de suas postagens.......