10 de jun de 2010

Pessoas especiais

Um dia delicioso está acabando. Voltei agorinha do cinema. Fui com a Luisa assistir o Sex and the City, as entradas faziam parte do presente que ela me deu de dia das mães, a série completa em dvd. O filme é uma bobagem deliciosa, como não podia deixar de ser o encontro daquelas quatro divertidas amigas. Não vou falar dele porque já se falou à exaustão. É uma ode a moda, ao consumo, e, desta vez, o luxo elevado à décima potencia. Sai do cinema pensando no filme, na gostosa vida das quatro e na minha gostosa vida. Tá certo que eu reclamo, reclamo, sou rabugenta ate não poder mais. Nem sempre, aliás, faz muito tempo que não tenho um dia perfeito como o de hoje. Friozinho na medida, céu azul, uma aula de alongamento dos deuses e um almoço maravilhoso com uma amiga que gosto, mas não convivo. Ela não me surpreendeu, mas a redescobri, e agora não posso mais ficar longe. Uma mulher linda, a idade indefinida, deve ter mais de 40, mas não parece ter um dia alem de 32, chiquérrima, é uma profissional e tanto, empresária daquelas grandonas, que a gente só ouve contar, sabe que existe, mas não chega nem perto. Pois essa mulher, super bem sucedida num trabalho glamurosissimo, ainda encontra tempo para se dedicar, e como, a causas sociais. Não tem medo de enfrentar a pobreza aviltante das ruas (não vi nenhum segurança por perto, aposto que não tem. Já se meteu nos cortiços mais absurdos e tem uma bela passagem pela FEBEM,(ops, fez um belo trabalho lá) sabe como ninguém espalhar carinho para quem precisa, especialmente crianças. Ah, ela tem uma família linda de capotar, a filha de 17 anos já e tão bonita quanto ela. Então eu me pergunto: uma pessoa assim com uma vida que deve ser corrida,- negócios, trabalho, casa, beauté, dão um trabalhao, ela não podia simplesmente deixar para o poder publico a tarefa de cuidar dos que nada tem? Impostos, ela já paga, e, altíssimos. Mas ela faz mais, muito mais. E, não é só ela, por sorte e segurança nossa, ainda existem pessoas que fazem mais, muito mais do que a obrigação, nos livrando da violência que a miséria e as drogas geram, deixando que a gente ainda possa poder almoçar num restaurante bacana na rua Joaquim Antunes e ir ao cinema. Me despedi com a certeza de que pessoas assim fazem desta nossa vidinha tão curta e boba, ser uma vida especial. Sou super, mega privilegiada por te-la perto de mim.

5 comentários:

Néia disse...

Pituca minha cara, não terias uma amiga assim tão especial se não fosses semelhante a ela. Aos poucos, tu te revelas, para que nós - seus leitores quase anônimos - a conheçamos na íntegra.
Bjos.

Lesma de sofá disse...

Pituquita, você é bem servida de amigas pq vc é o máximo!
beijos e saudades

carmen disse...

que amiga é essa??? tambem quero ficar amiga dela!!!!

Anônimo disse...

Pituca
Você também faz "dessa nossa vidinha tão curta e boba, uma vida especial".
Você poderia ir ao cinema nas tardes de sábado, mas vai ao abrigo...
Eu sempre digo que você é gente que faz!
É grande!
Também quero saber que amiga é essa!!!
bjs,
GOGÓ

Marcia Teister disse...

Realmente, se vc. tem alguém assim ao seu lado é por que merece.
Mas o mundo seria tão melhor se houvesse mais pessoas como sua amiga. Ah, como seria!!

Bjs