7 de out de 2011

Quando eu conheci o Steve Jobs

Quem sou eu, uma analfabeta digital, para falar em Steve Jobs?  Impossivel, no entanto, passar batido pela morte desse gigante que certamente vai mudar a linha da história. Não posso deixar de me lembrar com saudade do André, ainda moleque, mal saindo do Atari, já cobiçando um PC, que eu, muito idiota, achava uma tremenda bobagem. Me lembro nitidamente do primeiro computador que compramos, um segunda mão  do nosso primo Geraldo. Tão precário ele era que algum tempo depois compramos um mais moderno, acho que eram os primeiros anos da década de 1990. Esse computador era do meu filho, um alucinado por tecnologia, ficava no quarto dele e eu nem chegava perto. Quando ele estudava na GV eu imaginava que ele estudava muito e usava a internet para isso, como mãe é boba, mal sabia eu que ele e os já barbados amigos ficavam no quarto dele, jogando e, que nas aulas de informática- acho que é assim que se chama- da faculdade eles  estudavam, mãe boba número 2, eles jogavam e navegavam pela internet. Aos sábados, os hoje ilustres advogados, Xuxú e Cacá, os  Bahia- Kiko,Fernando e João,o Chris Chiocca,amigos do Dante, passavam a tarde toda aqui em casa jogando.Era engraçado ver aqueles cavalões, gritando, torcendo e praguejando como se tivessem 12 anos. Em meados dessa década, meu pai, o avô mais maravilhoso que eles puderam ter, já antevendo a fuga dos adolescentes da casa dele, comprou o mais moderno computador da época. Os meninos todos se transferiram para a casa dele, o André, estando lá ou não e passaram a frequentar aquela casa como se o avô fosse deles, o que, mais ou menos, era mesmo.  Hoje eles têm 30 e muitos e continuam amigos e fazendo a mesma coisa, todos os sábados, agora na casa do André.  O ritual é o mesmo, PlayStation, sei lá eu que numero está agora.  De tudo que se falou do Steve Jobs, em mim fica especialmente a  gratidão por uma invenção que uniu, criou laços de afeto  e deixa imagens inesquecíveis não só na minha minha memória afetiva, mas também no inesquecível IMac, para mim o design mais perfeito do século passado.  Steve, thanks!

3 comentários:

Regina Be -Violleta Rj disse...

ola Querida
E quem diria que foi graças a toda essa modernidade que eu estou aquie que nos conhecemos,, ainda lembro da minha primeira visita a SP , em busca de conhecimentos médicos e virtuais
E viva o Steve que proporcionou a nossa geraçao essa mundializaçao

Regina Be -Violleta Rj disse...

de novo,estive em contato por email com Rezi Orleans e Bragança pois ela aceitou fazer um percurso que eu bolei para as crianças brasileiras, numa super exposiçao do bozar(MAM daqui) sobre Brasil,aproveitei para falar que te conhecia, depois que ela aceitou,não usei o "pistolão" para conseguir;bjs

Lesma de sofá disse...

Menina, videogame é uma delícia! Ainda te apresento ao Xbox e aos aplicativos maravilhosos da Apple!
Morrendo de saudades de você menina!
Vc precisa ficar boa logo e ir almoçar comigo antes que eu desista de trabalhar na Alesp (tô doente de tanta patada...)bjs e amores